Crónicas · Uncategorized

Portugal em chamas 

Dezasseis. Dezasseis de outubro. É verdade! Em pleno Outono, tempo das chuvas frias, os termómetros continuam a marcar temperaturas elevadas. Andamos todos contentes, a passear junto à praia, naquelas tardes abafadas deste novo outubro. 

Porém, a tragédia voltou a abater-se sobre Portugal. Os incêndios estão de volta. As labaredas voltaram a lavrar as matas, a galgar as estradas e a engolir as casas. Rostos enfarruscados e roupas que cheiram a fumo. Lágrimas de desespero. Orações em vão. Trabalhos de uma vida que arde em poucos minutos. 

Choros incessantes marcam as madrugadas naquele clarão vermelho da labareda. 

Se acham que a Europa é a única a sofrer terrorismo, o que serão os incendiários, se não terroristas? 

Portugal narra, agora, um capítulo negro da sua história. Uma era de pânico, na qual o homem mostra a mais profunda da sua corrupção, a do ser. O homem deixou de ser “homem”. 

Em tempos, o fogo foi aquilo que permitiu ao ser humano sobreviver. Aqueceu-o nas noites frias, protegeu-o dos seus predadores e ensinou-lhe a arte de cozinhar. 

Hoje, brinca-se com o conhecimento pré histórico. Hoje o homem queima-se assim.  

Mas a vida é mesmo assim e a memória curta. 

Resta-nos pedir pela chuva muda que não volta. 

Esperamos que este terrível acontecimento se ultrapasse rapidamente. 

Deixemos um grande abraço sentido a Portugal, entregando toda a nossa força e fé, e um obrigado incompensável aos nobres bombeiros que, os heróis desta epopeia. 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s