Crónicas

Pequenas grandes coisas 

As pessoas marcam-nos sempre. Até pelas coisas mais pequenas. São essas “coisas pequeninas” que vão formando o nosso puzzle das recordações. 

Os “pontos” da minha avó são uma das memórias mais carinhosas que tenho dela. 

Há sempre aquele pulôver de malha que já tem um buraco. E é no momento antes de sair de casa que dou por ele. 

É nessas alturas que pedincho sempre o mesmo: “Vó – jeito de menino como ainda a trato – podes me coser isto?”. A resposta também é sempre a mesma. Ou melhor, nem se quer é uma resposta verbal. É um olhar ténue e meigo que estende o braço, para remendar a suéter. 

Sempre tive muito orgulho na minha avó. Lembro-me do brio com que saía da escola e dizia aos meus amigos que naquele dia era a minha avó que me ia buscar! 

A expressão era a do costume: “A tua a avó ainda conduz?!”

E lá ia eu, satisfeito, de braço dado com ela, saído da primária. 

Os anos passaram e os momentos mudaram, mas ela continua assim. Continua a aquecer-me o coração.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s