Crónicas

Na caixinha no fundo do coração

A pergunta que mais me fazem é: Como é que vieste aqui parar? Como é que de todos os sítios escolheste este ‘Fim do Mundo’? (Confused? Vai ver o meu último post!)

Bem, tudo começou com um sonho guardado numa caixinha no fundo do meu coração. Não dá, pois não? Nunca conseguirei, certo? Como é que alguma vez me safaria sozinha noutro país? Todos estes pensamentos invadiram a minha cabeça, então nunca partilhei esta minha aspiração. Até a minha vida ter mudado.

Pensei que se toda a gente pode tirar o mundo por debaixo dos meus pés, porque não fazê-lo eu mesma? Porque não apoiar-me a mim mesma por uma vez e embarcar numa aventura, A aventura da minha vida.

E o resultado está à vista de todos. Aqui estou eu, 9 meses depois de ter tomado esta decisão, orgulhosa e verdadeiramente feliz por ter avançado com a minha ambição. Por isso quando me perguntam porque é que estou aqui, porque é que troquei Portugal por Inglaterra, eu respondo que precisava de mudança, que Inglaterra é realmente o meu sonho.

A pergunta que vem sempre ‘agarrada’ a esta é sempre: ‘Porquê esta cidade pequena quando podias ter escolhido Birmingham ou Coventry?’ A resposta é que não tinha muito mais escolha, só existiam 4 universidades em todo o Reino Unido com o curso que queria, Engenharia Alimentar, Teesside University, University College Birmingham, Nottingham Trent University e Northumbria University.

Apesar de ter duas grandes cidades na minha escolha, Nottingham e Birmingham, nenhuma destas universidades ofereciam o curso completo que eu estava à procura. Para além do curso de três anos ainda me era oferecida a escolha de fazer 1 ano de estágio profissional através da universidade. Acabei por escolher o que muita gente por aqui acha completamente louco, 5 anos de universidade: Ano 0, três anos de curso e um ano de estágio profissional.

A verdade é que tenho 17 anos, entrei um ano mais cedo para a escola e quando acabar o meu curso, se tudo correr bem claro, terei 22 anos, por isso mais dois anos no meu percurso escolar não me irão magoar, muito pelo contrário até.

Voltando ao objetivo deste post, de uma forma muito clichê, esta cidade escolheu-me a mim, Teesside é a única universidade em Inglaterra que me oferece o curso que preciso, todos os outros são derivados que não me dariam as capacidades que eu preciso para ser uma Engenheira Alimentar.

Antes de terminar, quero só responder à pergunta que me fazem quando digo o curso que estou a tirar ‘O que é Engenharia Alimentar?’. Um engenheiro alimentar é alguém que pode tanto trabalhar numa indústria a tempo inteiro, de forma a observar e melhorar o processo de produção de um ou mais produtos ou trabalhar quase no fim da cadeia alimentar, na consultadoria em restaurantes, cafés, pastelarias…

De forma geral, o trabalho de um engenheiro alimentar é assegurar que todas as etapas pelas quais os nossos alimentos passam até chegarem ao nosso prato são seguros.

See ya next week! M

“Yes, I know it’s crazy. Do you know what’s also crazy? Looking back in 20 years with regret for not doing the things you dreamed of because you felt scared of failure, peoples’s opinions and change.”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s