Crónicas

De volta

E cá estamos de novo. Sejam bem-vindos a mais um ano, para mim (e para muitos) mais um semestre. O último semestre do meu primeiro ano de universidade. Desapareci durante as minhas duas primeiras semanas de volta a Inglaterra, será que alguém deu pela falta? O mais provável é que não, ninguém reparou. Mas será que vou explicar o porquê de ter desaparecido mesmo que ninguém tenha notado? Claramente.

Como eu já disse voltei a Inglaterra no dia 4, há três semanas, a verdade é que me sentei para escrever o meu post semanal quase todos os dias, mas simplesmente não me apetecia, faltava-me a razão pela qual amo escrever. Nunca escrevo com a intenção de que alguém a vá ler, até porque escrevo desde os 10 anos. Escrevo porque me satisfaz, liberta a minha imaginação fértil, liberta-me a mim.

Tirando este facto, pouco ou nada interessante, do caminho, passei as últimas duas semanas a trabalhar os meus turnos e os daqueles que tiveram exames e precisavam de mais tempo para estudar. E, claro, a procrastinar bastante. Não tive exames, só trabalhos que tinha apenas que submeter na plataforma digital da universidade pois fi-los todos antes das férias do Natal para aproveitar o meu tempo em casa ao máximo.

No momento em que estou a escrever isto já tive duas das minhas três cadeiras deste semestre. Até agora estou a gostar mais destas do que as do semestre passado. A minha primeira cadeira chama-se ‘Big Data’, basicamente o professor vai-nos explicar e ajudar a usar bases de dados nacionais e internacionais para retirar toda a informação necessária para o assunto que estamos a pesquisar.

A avaliação vai consistir numa apresentação PowerPoint baseada em informação de bases de dados, temos que arranjar um tema, algo que nos apele, e contar uma ‘história’, pegar numa pergunta tão simples como ‘Porque é que o Sr. João Silva não tem acesso a medicamentos necessários para controlar os seus diabetes?’ (por exemplo). Pegar em algo pessoal e específico e contar a sua história, baseada em todas as bases de dados que escolhermos, até ao Ministro da Saúde ou à empresa que fabrica o tal medicamento.

Este conceito deixou-me completamente encantada, provavelmente pelo meu ponto fraco por contar histórias. Já tenho algumas ideias sobre que caminho quero seguir, mas ainda tenho muita pesquisa pela frente para perceber se é viável. A minha segunda cadeira chama-se ‘Chemical Science and the Environment’, está dividida em duas partes, a parte do ambiente e da química, chega até a ser dada por dois professores diferentes.

Pessoalmente, sempre me interessei mais pela Química do que pela parte do Ambiente (que aprendemos em Ciências), mas fiquei surpreendida quando a aula que menos me apelava foi a melhor aula. O professor foi super descontraído, acessível e interativo, acabou por passar super rápido e até me deixou ansiosa para a próxima aula. Claro que também gostei da aula de Química, mas é simplesmente mais maçador e técnico, já que envolve equações e leis.

A minha última cadeira é a que mais espero, a cadeira prática, onde vamos ter tutoriais de cada experiência e depois vamos poder aplicar isso no laboratório, sempre quis ter esta oportunidade, que infelizmente não pude ter no Secundário. Espero que tenham gostado e tenham um ótimo 2019!

See ya next week,

M.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s