Crónicas

Lugar (in)certo

Estou perto dos vinte e sinceramente não sinto espanto pela perversidade humana. É triste. É mau. É aflitivo. Já não me espanta a desumanidade do homem, nem a negligência. Choca-me! Mexe comigo. Isso sim, mas essa é lenha para outra fogueira…  Onde quero mesmo chegar é à falta de compaixão. Ao desprezo e desrespeito pelo… Continue reading Lugar (in)certo

Anúncios